domingo, 23 de novembro de 2014

#173 - It's all lies, darling

(fonte: weheartit)

Ontem eu decidi bloquear ou excluir tudo o que nós tínhamos em comum no Facebook. Eu devastei como pude a nossa página de amizade depois de ter visto aquele vídeo fofinho que o próprio Face cria para agradecer amizades de longa data.

Não quero agradecer por nada. Quero parar esse sentimento que eu tenho. Ainda me sinto péssima enquanto ele nem lembra que eu existo. Só não estou mais revoltada, porque fui eu quem decidiu entrar nessa enrascada. Estou pagando o que eu já sabia que ia pagar uma hora ou outra.

Cada dia que passa e cada nova coisa que eu descubro que ele fez, sinto mais vontade de arrancar essa preocupação que eu ainda tenho e deixar florescer um lindo sentimento de foda-se.

Eu entrei num jogo, mas nunca fui protagonista. Ele nunca gostou de mim de verdade. Talvez eu tenha cumprido meu objetivo ou pelo menos parte dele. Agora por mais que eu sinta, sei que aquele não era o amor que eu merecia.

Eu lembro de coisas que aconteceram e me sinto vítima. Eu me permiti cegar tanto que não enxergava mais os limites do aceitável e do inaceitável. Quem gosta não faz o que ele fez. Só era cômodo. Comodidade faz coisas ruins. Ele tem um muro e, ao invés de rompê-lo, ele me sufocou nesse muro.

Eu espero morrer antes de cogitar fazer qualquer coisa que ele me fez com alguém que goste de mim.

Ainda assim quis saber se ele estava bem depois de ter conversado com um amigo. Mandei mensagem e ele só me ajudou a lembrar o quão péssima eu me senti com o que tinha acontecido na festa.

Só quero deixar registradas duas coisas:

1 – Traição não é algo aceitável. Se eu sou íntegra o suficiente para não trair, serei orgulhosa o suficiente para não aceitar.

2 – Acho que não preciso mais de um número dois. Orgulho tem que voltar a ser o meu número 1. Sem novas exceções.

 *

Sexta-feira, 14 junho de 2013. | Domingo, 23 de novembro de 2014.

Sinucão: Estávamos todos sentados. Ele ia se sentar ao meu lado, mas o André foi mais rápido. Ironia isso. Eu já estava ficando sem graça por causa das pequenas indiretas. Me fizeram beber cerveja. Estava divertido. Sério mesmo que cantamos Maurício Manieri?

Acompanhei a Bru até o banheiro. Enquanto esperava do lado de fora, ele apareceu e nem sei o que ele disse. Ele me beijou.

O Beto estava causando antes e depois disso, como se eu não soubesse que ele estava tentando se aproximar. Não fiquei surpresa quando todos foram jogar sinuca e ele ficou sentado conversando comigo. Ouvi todas as histórias de uma mente pirada.

*

Meu Deus, me revolto em lembrar disso. Ele age assim em qualquer situação. Ainda estou digerindo as coisas que me falaram. É tão engraçado descobrir as coisas que acontecem em paralelo. É ótimo saber cada passo em falso que ele deu, só me mostra que a culpa desse desamor não é minha. Vou guardar essa mágoa pra lembrar que as pessoas não são nobres como eu acredito. A mesma pessoa que me alertou sobre confiança e seriedade não tinha isso. Dei duas pausas depois de ter lido “colocava a mão no fogo por você, queimei até o pé”. Essa sem dúvida vai para as top frases que cicatrizaram meu psicológico.

Eu não consigo nem descrever o que foi sentir medo de acordar a pessoa que nunca se aborrecia quando eu a acordava.

Não tenho ideia de quanto tempo chorei em casa aquele dia. Não tenho palavras que descrevem a culpa e o peso que eu senti por deixar minha mãe preocupada.

Eu apaguei tudo aquilo porque ele não tem mais o direito de deixar marcas na minha vida. Eu apaguei aquilo para não lembrar que enquanto eu era sincera ele mentia e procurava por outras pessoas.Eu apaguei a nossa foto porque não quero lembrar do dia que ele mentiu dizendo que não me trairia.  Eu apaguei a nossa música do meu mural porque eu me iludi pensando que ele não ia me abandonar. Apaguei o meu texto porque ele não merecia nenhum daqueles sentimentos. Quero passar uma borracha na minha memória pra poder esquecer que ele dizia que eu não podia ir embora e que ele queria cuidar de mim pra eu não enjoar dele.

Fui tão ingênua.

É eu vou ficar bem. Pensei em agir exatamente da mesma forma como ele está agindo, mas eu não sou assim. Não vou mentir, trair e fazer o que todo mundo faz. Não vou procurar outras pessoas pra tentar preencher esse vazio.

Vou fazer o que eu sempre fiz. Vou ser sincera comigo e com o que eu sinto.

Enquanto ele dá em cima de n moças esperando o retorno de alguma, vou dispensar os n caras que estão dando em cima de mim e esperando o meu retorno.

Ele foi uma exceção na minha história e essa exceção me custou muito. Muito mais do que eu queria. Magoou muito mais do que eu merecia. Eu abri espaço achando que ele era especial, mas ele só era mais um.


No final vale a experiência. Eu nunca havia gostado de alguém assim. Nunca tinha feito planos por alguém. Agora estou sozinha e com um coração torcido, quebrado, tensionado. Acho que muito tensionado. É tanta pressão que chega a me sufocar. Mas não estou mais iludida. E isso é bom.

0 comentários: