sábado, 12 de janeiro de 2013

#155 - Pequenas grandes coisas

(fonte: weheartit)
Todos dizem que essa é a melhor época da minha vida, então por que me surge a vontade de querer pular tudo  isso? Cada vez que penso no que está acontecendo simplesmente quero que o mundo pare para que eu não precise realmente lidar com o que pode acontecer amanhã. Eu ouço músicas e fico tentando encaixar a minha vida naquelas letras, só para me sentir especial, ou imaginar que estou em um conto de fadas e sou a protagonista do romance trágico.

Ando me colocando no lugar de todos os personagens dos livros que leio. É interessante pensar sobre como eu agiria em certas situações. Algumas vezes me surpreendo comigo mesma, acho que não sou tão sensata como deveria ser. Talvez porque seja só imaginação e suposições.

Estou me sentido boba em relação a um cara, mas eu nem estou apaixonada por ele. Talvez seja momentâneo, depois de passar pelas férias mais curtas da minha vida e verificar as decepções amorosas de outras pessoas.

Por que eu deveria me preocupar com o amor? Se eu nunca consegui um amor recíproco de imediato. Amor é privilégio de poucos, em se tratando do sexo oposto. Acho que devo me preocupar somente com a minha graduação e com o meu medo de não ser boa o suficiente para trabalhar em uma empresa renomada e ter um bom salário após anos de estudo e dedicação. Afinal, se estou em uma universidade, acho que posso me dar o título mínimo de dedicada.

Eu nem sei porque estou escrevendo aqui, depois eu fico com receio de que alguém próximo a mim leia e me ache verdadeiramente ridícula. Na verdade isso não importa agora.  Acho que é natural sentir medo de ser julgado e condenado, mas estou tentando me adaptar ao velho lema do "não se preocupe com o que os outros pensam de você", mesmo não dando muito certo.

Preciso organizar algumas coisas e conversar com pessoas mais experientes que eu. Estou me sentindo perdida no meio de todas as minhas oportunidades. É sempre uma facada no peito saber que você não se saiu bem em uma dinâmica e que existem muitas outras pessoas melhores que você, mas é bom para manter alerta de como o mundo é. São todos canibais querendo comer as suas entranhas enquanto te deseja 'boa sorte, "amigo"'. Eu sabia que tinha ido mal, mas fiquei tão chateada. "Nós nunca somos a mesma pessoa de ontem, mudamos todos os dias", legal, "Tentem novamente ano que vem" ou depois, ou depois. Não sou lembrada pela minha perseverança. Ou eu consigo, ou eu não consigo. Admiro pessoas confiantes e perseverantes, mas eu não sou assim. Não confio em mim, apenas faço. O problema é que às vezes eu consigo e acabo me frustrando quando isso não termina bem.

Fiquei triste por ter passado tanto tempo longe da amiga que eu tinha conquistado. Realmente acho que ela já me trocou e que não vamos mais comer jujubas juntas. O que é uma pena, eu realmente gostava de passar os  meus sábados e a semana com ela. Mas principalmente os sábados, porque éramos nós duas. Acho que o que mais marcou da nossa amizade foram as jujubas, a carta na sala de aula e a viagem que a gente fez. Nunca tinha jogado queimada com a família de alguém. Foi realmente incrível. Eu realmente sinto a falta dela.

Bem, eu quero arrumar essa bagunça que dizem que é a melhor época da vida e ter foco. Afinal, foco é tudo. Principalmente quanto você conhece quem está competindo com você.

1 comentários:

Danielle Costa disse...

Olá! Encontrei o seu blog por acaso, porque estava tentando mudar a url do meu e queria justamente a sua :P acabei parando para ler e -pasme-, temos 18 anos e os mesmos pensamentos... Vou seguir o seu blog e espero que possamos conversar, trocar ideias... Enfim. Parabéns pelo teu dom de escrever!