domingo, 31 de julho de 2011

#114 - Carta V


Algum Lugar, 19 de Julho de 2011.

Joe,

Busco mais uma vez a luz em ti... Eu acho que estou ficando cada vez mais doente da alma e começando a ficar do corpo. Estou com medo e, novamente, ando sem vontades. Queria apenas poder parar esta mente turbulenta e dormir por muito tempo. Se isso acontecer, poderia cuidar dele por mim?

Ainda não sei o que está aqui, amigo. Nunca saberei explicar. Às vezes o mundo é todo rosa e mais tarde é todo cinza. Cinza e frio. Um mundo vazio, solitário... Como já disse, não tenho muitas vontades, só queria poder estar com ele e abraçá-lo como se não fosse mais soltar... Nunca mais! É, ele acalmaria a minha alma, sim.

Quero crescer, Joe. É, crescer. Ser maior, ter amigos... Quero reaprender a viver, buscar esse significado além dos dicionários. Sorrir mais.

Vou me casar. Quando eu crescer, vou me casar. Quero ser mãe, Joe. O que acha? Gosta da ideia? Será que eu consigo?

Ah, Joe, acho que deve estar cansado de ler seu nome na minha letra. Desculpe. Deixo para depois.

Carinhosamente,

                                                      Hanna


Cartinha simples, gosto de criar personagens. Às vezes elas se encaixam melhor em você do que você mesmo. Agradeço a sua leitura e ficarei feliz se puder comentar. Abraço. 

4 comentários:

Alana Araújo disse...

Crescer é difícil, crescer dói, crescer é para quem já é grande e não sabe. Gostei da cartinha.
Beijão
http://semintencoes.blogspot.com/

AquilesMarchel disse...

fofo
voce escreve bem
e cria bem
mas toda ficção é baseado em alguma realidade né?
bjus

AquilesMarchel disse...

a ficção se confunde com a realidade quero dizer

Lara Oliveira. disse...

Quem dera a gente pudesse escolher quando crescer (eu não escolheria nunca). Beijos!