sexta-feira, 22 de abril de 2011

#91 - Carta I



Querida S.R.R.,

Como descrever o que me passa? É algo bem diferente, bastante novo. Queria lhe agradecer, contar que grande parte disso que mudou se deve a você. Sim, a você. Há pouco tempo eu me sentia deslocada de todo o mundo, na maioria das vezes, até de mim. Minhas amizades não me pareciam suficiente, tudo o que eu tinha não me satisfazia. Faltava algo, faltava alguém diferente. Acho que isso está com você. Tenho quase certeza que com você.

Se eu te contasse que estou rindo? Não ache que sou louca, não sou nenhum tipo de maníaco também. Isso tudo é bem interessante, a partir do momento que você apareceu... Assim, não como antes, o meu sentimento de ausência sumiu. Esvaeceu.

Prezo muito por essa nova amizade, muito mesmo. Desde aquela conversa que tivemos eu fiquei assim... Não sei, não crio expectativas sobre nada. Não quero que seja forçado, quero uma amizade espontânea. Daquelas que não precisamos rir para agradar ou guardar as mágoas para não assustar.

Senti-me feliz como há muito não sentia. Foi apenas uma tarde, algumas novas conversas, alguns sentimentos e eu me completei. O mais engraçado disso tudo é saber que você também mudou. Talvez, não por minha presença, mas pelo ambiente que agora estamos.

Quero muito que isso tudo se prolongue, quem sabe não possamos cantar embaixo da mesma árvore, sentadas à mesma sombra ou, talvez, rir de alguma outra menina louca que surgir. Espero que sejam novos tempos, os tempos que eu esperei.


Meus sinceros agradecimentos,

G. A.

2 comentários:

Anônimo disse...

aah, é muito bom saber que as pessoas gostam da nossa companhia. *-*

Realmente depois que viramos amiga, eu mudei. Também sentia muita falta de alguém.

Acho que a gente se dá bem assim porque tínhamos os mesmos problemas. :/

Em fim... é muito bom poder contar com você.
S.R.R

Dé Mattos disse...

Eu tb tenho alguém assim na minha vida.
Algumas coisas acontecem de forma impressionante. E hj eu acredito firmemente que eu tinha um pedacinho de mim perdido por aí. Agora eu achei. E não é amor. É a mais pura e mais linda amizade.
Lindas tuas cartas!
Desculpa o sumiço daqui!
Beijo beijo!