sexta-feira, 25 de fevereiro de 2011

#76 - Vem depois do que volta



É difícil ouvir palavras que vão alcançando o interior. Aqueles sermões ou citações que vão desestruturando por dentro, vagarosamente, aos poucos, o ego. Por que algumas pessoas sempre têm as palavras certas para trazer aquela vontade de chorar?

A morte de uns pode ser piada para outros. Isso me enlouquece, às vezes, assim, bem no fundo. E ainda mais quando você pode imaginar ou supor o que se passou pela mente desse ser infeliz. Droga, não queria ter sentido aquilo. Foi uma tortura de instantes, sentia meu rosto aquecer, meu nariz ficar estranho.

Não sei o que acontece, o que se passa por momento. Não gosto de tentar explicar o que é inexplicável. Parece que quanto mais eu busco uma resposta, mais ela me foge à ponta da língua. É tão simples, que se torna difícil, complexo.

Falaram que eu levo as coisas muito a sério. Não sei se levo. Bom, creio eu que não. Depende muito do que se trata, ora. Achei engraçado, mas isso me fez pensar. Isso foi quase como um pedido para eu desequilibrar o que eu tenho por dentro, mas não posso fazer isso. Uma peça fora do lugar pode causar grandes problemas. Já sou light o suficiente por fora. Devo repensar o caso? Seria como jogar perfume em rosas. Não teria sentido e não se saberia a reação.

Sinto pelo ocorrido, sinto pelo que ele sentiu, sinto pelo que ele pensou, sinto pelo laço quebrado, pelo que ele sonhou. Espero que tenha encontrado sua paz, ou algo melhor do que antes, se existir. Não sei se ele merecia, mas eu sinto.

E onde está o sentido depois de tudo isso? O que acontece depois que a mente apaga? O inconsciente mantém? Ele é incrivelmente assustador, não creio que não saibamos o que se passa nele. Apenas não acreditamos que somos capazes de fazer o que se passa. Se está lá é porque existiu. Espero não desistir.


2 comentários:

Sabrina Torres disse...

A dor de um não pode em hipótese algumas virar uma simples piada independente do tamanho da dor ou do estrago que ela possa causar. Pessoas que usam assuntos tristes e trágicos para ter dentro de si alguns segundinhos de pensamento de "EU SOU FODA", ou são muito, mas muito problemáticas ou sentem o prazer de serem tão repugnantes a ponto das pessoas ao redor o olharem 'torto'. Não sei o que se passa na mente de quem não consegue se preocupar ou pelo menos se comover com pessoas que não conhece, só sei que mesmo não conhecendo uma pessoa a dor dela é como qualquer dor que nossos conhecidos sentem. Algumas pessoas deveriam repensar em seus conceitos.
Escolher a morte ao inves de enfrentar a realidade pode até não ser a ideia mais brilhante, acho que até seria a mais estupida, mas só quem sente pode definir o tamanho e as consequências que esse sentimento terá.

bjinhos, flor ;*

Kevin Campos Correia disse...

ah li e sabia do que se tratava
curti
mas assim é normal tentar achar respostar pra o que parece sem nenhuma sensatez
mas nem tdas pessoas são como a gente, com essa mente de valorizar a vida, e que em nenhuma circunstância nos deixariamos cair tanto a essa situação.
Infelizmente tem gente pra td, sem estrutura, ou as vezes com estrutura pra cometer váris crimes e sair com a "mente limpa"
essa é a vida
essas são as diferenças
só faz parte!