segunda-feira, 6 de dezembro de 2010

#58 - Is night, my darling!

Ver a cidade se acender e caminhar vagarosamente enquanto crepúsculo. Uma ambiguidade entre os dois turnos, trazendo boas sensações. E o céu vai perdendo todo o seu brilho e revelando o seu tesouro. O mais belo que poderíamos ver, aquele que não podemos tocar. Cintilando seu brilho impróprio, a Lua lá está, junto às estrelas dando todo esse esplêndido espetáculo de beleza.

Oh, por que as pessoas comparam a escuridão com mágoas? Toda essa escuridão é capaz de expor uma natureza incontestável. Admirável, noite, capaz de tocar sentimentos. Isso pode fazer chorar, sorrir, recordar. É no seu manto negro que as pessoas se aconchegam, se transbordam em emoções, se entregam a si mesmas. Não há porque reclamar da escuridão, ela nunca é completa. Disponibiliza os seus sonhos, junto um frescor que lava a alma, a brisa noturna. Chega a ser impossível contar os milhões de pensamentos que se transpõem na mente, incapacidade de manter sua ordem.

Qual a necessidade dessa ordem? Já é noite, e essa doce melodia que soa aos ouvidos encanta cada vez mais. A escuridão tomou conta dos cantos, mas o interior ainda irradia. Irradia toda a luz que a noite nega às cores.

Sempre com um ar de mistério, um poder sobre os homens. A noite causa medo para alguns e, infelizmente, é a marca das maldades. Ela esconde o que nos amedronta. Já pensou que o seu medo pode não estar lá? – Sim, alguns se utilizam da noite a benefício próprio, cometendo atrocidades. Para esses, está reservado todo o dó que o mundo pode ter. – Grande parte dos seus medos é criado por você mesmo, quase sempre à noite.

Então, como pode trazer toda essa tranquilidade que sente, uma calma que inspira, que apaixona? Apaixonada por todo esse silêncio, que é quebrado pela mínima melodia que soa. Apaixonada pela inspiração que ela traz. Apaixonada por essa delicadeza imposta nas palavras. Apaixonada pela lembrança do seu semblante. Apaixonada pelas memórias e pelos fatos. Apaixonada pela leveza, pela serenidade, pelo cheiro. Apaixonada pelas loucuras e pelos medos. Apaixonada pela ausência e pelo céu. Apaixonada por essa sensação. Apaixonada por ela.

Todos esses devaneios trazidos no mesmo momento, em todas as noites. Hoje fazendo rir, amanhã chorar. Talvez isso seja apenas uma parte daquilo que o dia não lhe permitiu observar e que a noite não permitirá apagar.

6 comentários:

Marcos Aquino disse...

Devaneios perfeitos vamos combinar neh Gi.
O escuro da alma revela a solidão que me acalma. (Marcos Aquino), acho que essa frase se emprega bem nesse contexto.
Beijo!
http://umsernovo.blogspot.com

Lara Oliveira. disse...

Perfeito esse texto, escreves super bem mesmo. Parabéns!

More Than Words disse...

Parabéns pelo texto, gostei muito! Se puder depois dar uma olhadinha no meu blog. Beijos

Expe disse...

oiee florr

to de volta, obrigada por se lembrar de mim,em breve vou responder ao desafio....


passa no blog


bjks

boa semana

http://antene-semakeup.blogspot.com/

Marcos Aquino disse...

Oi GI. Tem um selo pra você lá no meu blog.
Beijo
http://umsernovo.blogspot.com/

Sabrina Torres disse...

Florr !!

Tem selo pra você no meu blog

http://minhamenteflutuando.blogspot.com/

Selos, selos, selos :)

Blog perfeito !