terça-feira, 9 de novembro de 2010

#48 - MIMIMI

Uma coisa que definitivamente eu não quero mais é estar doente. Tudo fica tão chato quando se está doente, não posso tomar gelado e nem comer besteira. Que seja. Odeio ter que ficar em casa sozinha, odeio sentir falta da escola, odeio saber que enquanto eu estou aqui escrevendo, estou perdendo aula do técnico que não podem ser repostas e que semana que vem é semana de provas finais, odeio ter que ficar dando explicações, odeio lamentações, odeio muito acordar de madrugada para tomar remédio e ter tomado três injeções cruéis.

A única vantagem de ficar doente é que todos me mimam muito! Minha mãe, em especial. Ela não larga do meu pé e compra iogurtes para mim. Sim, eu gosto disso. Mas mesmo assim eu continuo mal pra caralho e quero ficar boa logo. Eu estou horrível no espelho e isso não é nada bom.

Desde o dia que eu quase morri lá na ETE, estou meio revoltada com a atitude de certas pessoas interesseiras, hipócritas e que só pensam em si mesmas. Fodam-se vocês! Eu estava morrendo, e obrigada por NÃO perguntar. Mas, por outro lado, eu fico muito feliz em ver com quem eu posso contar verdadeiramente! Sim, eu pude ver quem vai estar comigo na hora do “vamos ver quem é que vai comigo”. E são essas as que eu nunca vou soltar a mão. A minha amiga ficou ao meu lado o tempo todo, foi ao hospital e voltou para casa comigo! O meu namorado ficou desesperado, tadinho *--*. Os meus amigos estavam desesperados...

Eu odeio muito hospital, e acho que por isso eu tive que ir três vezes. Eles têm um ar tão pesado, tão triste... Eu fiquei tão tensa naquele hospital, havia pessoas em macas no corredor. Isso é tão injusto! Por que elas não têm direito a um local descente, afinal, para o governo ridículo que as pessoas elegem, elas votam! Havia um senhor deitado numa maca no corredor, tomando soro na veia. Eu sentei ao seu lado, na cadeira ao lado. Lembro que ele queria tirar sua sacola que estava o atrapalhando a respirar. Eu o ajudei. Olhei depois o que o médico havia receitado no soro, 1000 mL de cloreto de sódio (20% em 20mL) e cloreto de potássio. Queria saber para que servia o cloreto de potássio. Na verdade, ainda quero. Acho que a Química está me afetando... Depois disso o médico me receitou uns remédios e eu voltei pela segunda vez de um hospital para minha casa. Não foi o suficiente, tive que voltar no sábado e tomar duas injeções a mais, já que a febre e a dor não passavam. Saco!

Agora, eu estou melhor, mesmo com o bumbum doendo e as veias dos braços direito e esquerdo roxas... E acabei de olhar a hora é 14h14. Enfim, tenho atestado até quarta, mas eu vou para a escola na quarta sim. Não quero mais ficar aqui sozinha e eu tenho muita coisa mesmo para resolver. E tenho que pegar o MEU relatório, fui EU quem passou horas digitando aquela merda! Falo mesmo! E não interessa se eu não fiz um de três. Hunf.

Hoje é aniversário do meu papis e da minha vóvis. Sempre me pergunto como minha avó conseguiu parir meu pai no dia do aniversário dela... Interessante. Eles são ótimos, eu queria muito uma maneira de falar para o meu pai o quanto ele é importante e especial para mim, não sei se tudo isso pode ser resumido com apenas um “eu te amo”, já que hoje as pessoas veem essa frase como um “e aí?”, se eu soubesse o que ele quer, as coisas seriam tão mais práticas! E eu ainda estou me sentindo culpada por ter esquecido o aniversário da minha mãe. Eu sou um projeto de lixinho. Hunf.

Bom, eu quero muito que o ano acabe! Dois mil e dez já deu... Mesmo. Já notei que eu sempre me fodo em anos pares, é. E isso é um saco. Um saquinho! E dane-se. Não importa, eu não ligo se não está perfeito, ainda tem quem me ama. Ainda? Não acredito que eu escrevi ainda!

2 comentários:

Sabrina Torres disse...

Ah sua linda
Você faz tanta falta
Nunca mais fique doente !

Expe disse...

Passando para retribuir a visita...

beijoss

http://antene-semakeup.blogspot.com/