segunda-feira, 11 de outubro de 2010

#38 - O frio



Está tudo tão frio, tão cinza que parece não haver vida. O Sol se esconde, enquanto o sereno de uma tarde de outubro está a precipitar do céu. Não há pessoas na rua, as casas estão fechadas, luzes apagadas e televisões ligadas. Os pensamentos são tão bons, a única vantagem do frio. Tal clima traz uma tranquilidade imensa, uma calma inexplicável chega, junto com uma vontade de ler. Ler uma história pequena, breve.

Queria ouvir histórias, adoro ouvir histórias... Presto muita atenção, sinto cada sentimento do que está sendo passado: o passado, falado. São histórias reais, experiências vividas. Dias lutados e vencidos. Guerreiros. As melhores histórias são as que nos trazem um ensinamento, histórias que nos fazem querer viver, lutar e vencer. Crescer a cada passo, a cada esforço recompensado, a cada trabalho parabenizado... Saber que agradou instiga a fazer cada vez o melhor.

Ouço músicas calmas, adoro músicas... Quantas vezes você presta atenção no que as músicas falam? Ouvir música não é escutar, é sentir. Entenda o que a música está falando. Lembro-me que quando eu era menor, escutava uma música. Adorava ela e sempre que estava tocando eu cantava, sabia a letra toda, os mínimos detalhes da letra. Um dia, comecei a cantá-la baixinho, para mim, foi a primeira vez que ouvi a música que gostava. Falava de um amor, de corações, de erros. Foi aí que eu comecei a ouvir o que as músicas queriam me passar. O que se passa na cabeça de quem compõe músicas? Será que por trás de cada verso, cada refrão, há um enigma? Uma história? Uma pessoa? Um objetivo? Não sei. A mesma coisa acontece com quem escreve: para quem escrevemos? Para mim? Para você? Para alguém? Depende.

Gosto de plantas, adoro olhar paisagens... Como o homem pode destruir coisas tão belas? O mundo diz que não existe a perfeição. Realmente, não existe a perfeição. Somos nós que determinamos o que devemos achar perfeito. A natureza é perfeita, o homem que tira sua perfeição. O homem que estraga o belo, só para dizer que não é perfeito. O perfeito está no seu gosto. Você pode ser a perfeição, pelo simples fato de ser único! A perfeição está na imperfeição de um ser, de um mundo. A perfeição está no surreal. A perfeição está no que ninguém pode plagiar. A perfeição está no que ninguém consegue responder. Como seria o mundo se não existisse o homem? Qual é a visão que você tem do paraíso? Talvez o mundo já fosse esse paraíso, antes de você vir aqui e acabar com tudo...

Quero ir longe, fazer a diferença de alguma maneira. Não precisa ser para você, apenas para mim. A minha maior prioridade não é você, sou eu. Os meus objetivos não são para você, mas para mim. Não busque os meus objetivos, desenvolva os seus. O que te faz bem, é o que te faz sentir. A partir daí você decide o que é.

1 comentários:

Sabrina Torres disse...

Já comentei que eu amo o frio ? *0*