domingo, 3 de outubro de 2010

#35 - Nada, além de tudo.

Sempre que paro e olho fixamente para o espelho me vem uma estranha sensação, meus olhos turvam a imagem, eu sinto um calafrio, não respiro por poucos segundos. É nessa hora que eu sinto uma enorme vontade de chorar. Então eu olho para o nada, enquanto meu olhar se banha com as lágrimas de um ser.

Mil coisas se passaram pela minha mente aquele dia. Até que resolvi deixá-las efluir. Cheguei mais perto, mais perto, perto. Parei pelo segundo mais longo e inebriante da minha vida. Perdi-me em outro ser.

E ainda tenho tanto medo do que vem depois. A intensidade dentro de mim está se contrapondo aos meus anseios. Devaneios.

Existe coisa melhor que um abraço? Nunca precise tanto de um abraço. A fragilidade que eu tenho não está exposta aos olhos, mas à inteligência do mundo. Ah, mundo, porque me fizestes assim? Eu tenho o abraço, o mais sincero abraço, em conjunto com o mais sincero "te amo". É tão bom te ter aqui.

Lembro-me de quando estava perdida. Não sinto mais o peso de antes, é tão estranho não carregá-lo comigo. Minha lama está leve, muito leve.

Sinto a falta do Sol nos dias chuvosos. Ele está lá no céu, escondendo-se de mim. É tão bom ouvir um elogio, sentir-se desejada, amada, enriquece o ego.

A culpa não é do sedutor, mas do seduzido que se deixou seduzir. Qual é o segredo da sedução? Qual a diferença entre o amor e a sedução?

A felicidade me sorri depois de muito tempo. Eu tenho uma família maravilhosa, amigos incríveis. Eu tenho um garoto que é meu amigo e que me faz sorrir em meio a estresses, que me conforta, que me abraça, que me cuida, que me ama #tododia.

0 comentários: