sábado, 28 de agosto de 2010

#29 - Um novo começo


De uma hora para outra resolvemos mudar tudo o que fazemos, a maneira que estamos. Foi o que fiz: mudei a aparência, os pensamentos, os ideais. Cresci. Mudei a maneira de falar, de andar, de sorrir. Agir radicalmente é arriscado. Foi um risco que corri. Insistir em algo inexistente que só magoa não é o ideal.
Nunca pensei que refazer minha história fosse tão satisfatório. Deixei há muito tempo o meu orgulho de lado e resolvi agir de maneira limpa, falar com a sinceridade mais pura. Quando nos machucam, queremos machucar de volta. Decidi fazer diferente. Afinal, o diferente tem um gosto novo. A arrogância foi esperada, mas manter a calma e o foco trouxe bons resultados. Hoje tirei toda a mágoa que ainda estava em mim.
O orgulho das pessoas faz com que elas não sejam intensas, reais, felizes. O orgulho me obstruiu por um tempo. Acreditei que esse orgulho fosse bom, para afastar e fazer acreditar que estava assim porque deveria ser assim. Mas não, não devia ser assim. As lembranças boas ainda existiam, isso que trazia a recordação. Saudade.
Quantas pessoas que já te fizeram bem você esqueceu? Quantas que te faziam sorrir você deletou? Não adianta, não dá para simplesmente apagar. Depois de tanto tempo, sorri com quem me fez chorar. Foi a melhor coisa dos últimos meses. A arrogância já não estava mais presente. Aquela música começou a tocar, a música que me lembrava você.
A sinceridade levou à sinceridade. Históricos de conversas relidas, mostraram que a falta não era somente minha. Talvez tudo o que foi feito, foi ideal. Hoje estou forte. Não sou mais uma menina boba, mas ainda gosto do jeito que me faz sorrir. Não quero perder a amizade, já não existe mais o que nos separava. Eu quero sua amizade, e acredito que você quer a minha. Agora é a sua vez de não deixar o orgulho por cima, já admitiu ter as mesmas lembranças.
Lembrar o quanto ria quando você voltava falando que consertou o ventilador e que superou a tecnologia, o quanto era divertido ficar até altas horas falando coisas inúteis... Cantar o que não gostava só para agradar a mim.
A sua sinceridade me foi fundamental, saber que você sentiu o mesmo vazio. O vazio passageiro. A saudade momentânea de todas as risadas dadas. Minha presença fez voltar boas lembranças. Um alívio. Então, acredito que tudo vai tomar o melhor caminho. Assim espero. Sinceramente, espero.

1 comentários:

Kevin Campos Correia disse...

curtii mto, viver novas experièncias, mudar sempre é bom!